Por que a Frutose é Ruim Para Você (e fruta não)

Por que a Frutose é Ruim Para Você (e fruta não)

Muitos pensam que para escapar dos males dos açúcares mais comuns, basta procurar alternativas mais saudáveis na sua alimentação. Alguns substituem o açúcar em suas dietas diárias pela frutose.

Sucrose, sacarose, xaropes e alternativos são comuns na dieta ocidental em diversos alimentos, tanto doces quanto salgados. Você ficaria impressionado se soubesse em quantos alimentos existem açúcares escondidos. A maior parte desses açúcares é composta de glicose e frutose.

Carboidratos, até mesmo os naturais, como da batata, possuem quantidades significativas de glicose, e existe quantias de glicose em todas as células do mundo. A glicose é um elemento vital para a composição de nossas células.

No entanto, a frutose não é necessária para nossa saúde, composição ou células, e nós nunca a consumimos por necessidade, e sim somente por se alimentar de frutas quando as encontrávamos maduras. Assim, a glicose e frutose são metabolizadas de formas totalmente diferentes em nosso corpo.

É necessário entender primeiramente que, apesar de todas as nossas células conseguirem metabolizar a glicose e necessitarem dela para sobreviver, somente o nosso fígado consegue metabolizar a frutose, e esse processo só ocorre quando a frutose é encontrada em grandes quantias.

Quando uma pessoa normal consome uma dieta com excesso de calorias e também grandes quantias de frutose, o fígado começa a ficar sobrecarregado, levando ele a transformar toda a frutose excessiva em gordura.

Não são poucos os especialistas que acreditam que consumo excessivo de frutose pode ser um fator diferencial na causa de diversas doenças e síndromes consideradas endêmicas nos tempos modernos. Alguns dos principais da lista são câncer, doenças cardiovasculares e a diabetes tipo 2.

Os males do excesso de frutose

O consumo excessivo de frutose, principalmente na forma de açúcar adicionado em alimentos, pode trazer uma série de malefícios. Dentre esses malefícios, temos:

Uma confusão nas funções do seu fígado. Ele começará a sintetizar gordura, que assim serão transformadas em colesterol VLDL, que então levará a dislipidemia, ou seja, grandes quantias de colesterol e triglicerídeos no sangue, além de gordura envolta de seus órgãos, que, por fim, levará a doenças cardíacas.

Aumento do nível de ácido úrico no sangue, levando a doenças como gota e problemas de hipertensão.

Causa depósito de gordura na região do fígado, podendo levar a doenças relacionadas a gordura no fígado não relacionadas a álcool.

Causa resistência à insulina, resultando em problemas como obesidade e diabetes tipo 2. Resistência à insulina pode levar a outra série de problemas, como índices elevados de insulina no sangue e aumento de IGF-1 por todo o corpo, que pode vir a causar diversos problemas, incluindo o câncer.

A frutose não afeta sua saciedade da mesma forma que outras comidas, como a glicose, afetam. Isso resulta em um número maior de calorias totais automaticamente, pois você precisará se alimentar muito mais de frutose para que realmente atinja o nível de saciedade esperado com alimentos que possuem somente glicose.

O consumo excessivo de frutose pode causar também a resistência à leptina, que causa distúrbios na regulação hormonal de gordura pelo corpo e contribui para o ganho de peso, dificuldades na perda de peso, e pode vir a causar níveis de obesidade altos.

Por fim, a frutose comprovadamente pode vir a causar vício em pessoas que se alimentam dela com uma grande frequência.

É necessário entender e lembrar que nenhum desses fatores são excludentes, então a chance de ocorrer todos ao mesmo tempo existe. Resistências a ambas, leptina e insulina, além do vício causado pelo consumo da frutose, falta de satisfação da alimentação baseada em frutose, e resulta em desejo compulsivo de alimentação por doces, e é uma receita para a obesidade.

Além da própria frutose ter riscos de causar câncer, doenças cardíacas e o diabetes tipo 2, as consequências de uma alimentação rica em frutose também agravam esses riscos, e pioram consideravelmente sua qualidade de vida de forma generalizada.

Por que a Frutose é Ruim Para Você (e fruta não)

A frutose provida diretamente de frutas não é ruim

Desde sua origem, a raça humana é caçadora e coletora. Sempre caçamos alimentos, mas quando encontrávamos frutas no chão, nós comíamos. A agricultura demorou a ser desenvolvida em nossa cultura, então a alimentação com frutas era rara e escassa, portanto mal considerada nas dietas, mas ainda assim comíamos quando encontrávamos.

Ainda assim, após a criação da agricultura, e a origem de plantações, as frutas que plantávamos não nos faziam mal. Certamente gastávamos muito mais energia dos nossos corpos para manter toda a plantação, caçar e afins nos tempos remotos, mas os males da frutose não são combatidos somente com exercício físico.

O que queremos dizer com isso então? Que apesar da frutose ser danosa para nossa saúde, a fruta em si não é ruim. Sim, a origem da frutose não faz mal nenhum para nossa saúde.

Grande parte das frutas na verdade, possuem diversos nutrientes, e são ricas fontes de fibras e energia, não somente grandes acúmulos de frutose com quantias de água. Em certas frutas, você encontra até mesmo quantidades muito mínimas de frutose, e riqueza em gorduras, vitaminas, e afins que são excelentes para sua saúde.

Além disso, frutas tem poucas quantias de frutose, e são bem difíceis de se comer muitas por serem bem densas.

Para conseguir atingir níveis de frutose perigosos ou danosos para você, seria necessário que você comesse quantidades ridiculamente grandes dependendo da fruta, e como elas causam uma forte sensação de saciedade, esta é uma tarefa naturalmente muito árdua.

É sempre bom evitar misturar açúcares. Então, se alimentar com grandes quantias de fruta, mas misturar com chocolates, doce de leite, leite condensado ou afins em receitas, apesar de ser uma coisa comum, deve sempre ser evitada. Afinal, você estará ingerindo grandes quantias de açúcares diferentes, mas ainda estará ingerindo frutose em conjunto com glicose.

Os efeitos danosos da frutose são mais comuns na dieta principalmente ocidental. Os açúcares da dieta oriental costumam não ser refinados, e as opções mais comuns utilizadas em tais dietas são diferentes. Eles optam por eliminar xaropes e frutose da produção de seus alimentos por alternativas mais rentáveis.

Gostou? Compartilhe com os seus amigos e deixe o seu comentário abaixo!

Recomendados para você