Por Que o Jejum Intermitente é A Solução de Cura Natural e Emagrecimento Mais Poderosa Possível

Por Que o Jejum Intermitente é A Solução de Cura Natural e Emagrecimento Mais Poderosa Possível

O jejum é uma prática histórica muito comum em todas as partes do mundo.

Jejum Intermitente é um padrão de alimentação onde você alterna períodos de jejum com as suas refeições.

Ou seja, abstinência voluntária de alimentos por diversas razões positivas que explicaremos adiante.

De acordo com diversos estudos (1), ele pode ser muito benéfico para a saúde em geral. Com a prática do Jejum você pode, entre outras coisas:

– Melhorar o funcionamento das células, genes e hormônios
– Perder peso e gordura abdominal (sem que ocorra perda de massa magra e mantendo o metabolismo acelerado)
– Reduzir a resistência à insulina, diminuindo o risco de diabetes tipo 2
– Reduzir o estresse oxidativo (excesso de radicais livres) e as inflamações no corpo
– Melhorar a saúde cardíaca
– Desencadear uma via metabólica chamada autofagia, que remove o material residual das células, protegendo assim de várias doenças como câncer e Alzheimer
– Aumentar o crescimento de novos neurônios e proteger o cérebro de danos
– Aumentar a expectativa de vida

Também são comuns os relatos de aumento da resistência e vigor, foco aprimorado no trabalho e estudos, melhora do sistema imunológico e evolução nos exercícios (2).

Você não vai morrer de fome, nem passar por grandes dificuldades. Nosso organismo foi designado para isso.

Jejum é algo natural e bom. Alimentar-se a todo momento é algo novo para o ser humano.

FACILITE SEU ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL!

Muitas pessoas estão usando o Jejum não apenas para melhorar a saúde e perder peso, mas também como forma de simplificar seu estilo de vida saudável.

Os métodos mais praticados envolvem jejuns de 16 horas todos os dias (ou quantos dias for conveniente) ou 24 horas, uma ou duas vezes por semana.

Isso facilita a vida cada vez mais atribulada de todos. O protocolo 16/8, por exemplo, permite que você pule o café da manhã (ao jantar 22h, sua próxima refeição será apenas às 14h do dia seguinte).

Ou seja, você terá mais paz e tranquilidade ao acordar, sem precisar sair esbaforida ao trabalho.

Em vez de comer de 3 em 3 horas (prática contestada principalmente para quem deseja perder peso), você pode escolher quando comer dentro das janelas de alimentação pós-Jejum.

A melhor das dietas é aquela que você consegue manter a longo prazo. Se o Jejum Intermitente torna mais fácil para você manter uma dieta saudável, então ele certamente trará resultados positivos.

Ele cai na categoria de “simples o suficiente para você colocar em prática, mas importante o suficiente para fazer a diferença na sua vida” (3).

COMO FUNCIONA O JEJUM INTERMITENTE?

Do momento em que você começa a se alimentar até entre três a cinco horas, você está no estado absortivo. Os níveis de insulina aumentam e fica quase impossível queimar gordura neste estado.

Após esse período, seu corpo entra no que é conhecido como o estado pós-absortivo, onde não está processando alimento nenhum. Esse estado dura entre 8 a 12 horas após sua última refeição. A partir daí você entra em jejum.

É muito mais fácil para o corpo queimar gordura em jejum porque seus níveis de insulina estão baixos. Quando você está em jejum, seu corpo pode queimar gordura inacessível durante os outros estados (3).

Numa dieta normal é muito difícil que nossos corpos estejam em estado de queima de gordura, porque só entramos em estado de jejum a partir de 12h após a última refeição.

Esta é uma das razões pelas quais muitas pessoas que iniciam o Jejum Intermitente perdem gordura sem mudar o que comem, quanto comem ou com que frequência se exercitam.

Mas vá devagar!

Muitas pessoas com quem eu converso sobre Jejum torcem o nariz rapidamente, porque acham que estarão privadas de tudo nesses períodos, como quando vamos fazer exames de sangue ou algo do tipo, mas não é assim que funciona.

Jejum não significa passar fome.

Você pode e deve manter-se hidratada durante o Jejum. Água, com ou sem gás, à vontade! Cafés e chás sem açúcar nem adoçante também são permitidos. Eles ajudam a diminuir a sensação de fome.

Porém, tome cuidado com o café. Cafeína em excesso pode interromper o sono e promover ansiedade e depressão.

É bom esclarecer que nas primeiras vezes algumas pessoas podem experimentar leves dores de cabeça, azia (principalmente se você tomar muito café) e mesmo um pouco de tontura (nada excessivo). Mas logo o corpo se acostuma e até mesmo a fome praticamente desaparece.

Se esses sintomas persistirem, tente mover sua janela de jejum para uma hora anterior (de 20h – 12h para 19h – 11h, por exemplo), ou tente adicionar uma hora à sua janela de alimentação.

Devido aos hormônios, as mulheres não devem necessariamente jejuar tanto quanto os homens, então não tenha medo de testar o que funciona melhor para o seu corpo.

Basicamente todo mundo pode praticar, com algumas ressalvas.

O Jejum definitivamente não é indicado para grávidas e crianças. Mulheres com histórico de distúrbio alimentar (anorexia, bulimia), amenorréia, pressão baixa ou que estão sob medicação, é aconselhável procurar o médico antes de iniciarem.

Não há nada de perigoso em não comer por períodos curtos, mas se começar a sentir demais os efeitos negativos, interrompa. Nenhuma abordagem única funciona para todos.

ALGUNS CONSELHOS PRÁTICOS PARA INICIANTES

  • Ajuste sua alimentação

O Jejum pode te deixar faminta. Quando chegar a hora de interrompê-lo, não adianta nada ir com tudo pra cima de uma pizza inteira com sundae de chocolate!

Sua refeição de quebra de jejum tem que ser equilibrada. Assim como em todas as outras refeições, aliás, você não deve consumir processados, refinados e açúcares.

Procure alimentos integrais e evite industrializados. Alguns exemplos positivos são proteínas de qualidade (ovos, carnes de procedência, peixes), nozes/castanhas, legumes, folhas e frutas no geral, gorduras boas (óleo de coco, abacate).

  • Comece com períodos de 12h

Para acostumar aos poucos seu organismo, comece jejuando por 12h – por exemplo, se você jantar às 21h num dia, tome café da manhã às 9h do dia seguinte. Isso fará com que você assimile aos poucos, mas é importante ressaltar que os benefícios reais só começam mesmo depois de 12h de Jejum.

Então não permaneça muitos dias nesta fase, dê o próximo passo:

  • Escolha um protocolo de Jejum Intermitente para você

Você não precisa seguir um plano estruturado preestabelecido para conseguir ao menos alguns dos benefícios do Jejum.

Tente achar o que encaixa na sua agenda e que você se sinta confortável. Não há problemas em adaptar os horários e pular as refeições quando você não tiver tempo para cozinhar ou estiver sem fome.

O protocolo mais praticado hoje em dia é o método 16/8, onde deve-se jejuar por 16h e comer numa janela de alimentação de 8h.

Se você algum dia já jantou, foi dormir tarde e não comeu nada até o almoço no outro dia, provavelmente já praticou um jejum de 16h ou mais sem mesmo saber!

Aqui estão três dos principais protocolos:

O método 16/8: Jejuar por 16h e comer durante uma janela de alimentação de 8h. Por exemplo, jejuar das 20:00 ao 12:00 do dia seguinte, e se alimentar do 12:00 às 20:00. Quanto mais vezes você conseguir praticar durante a semana, melhores os resultados.

Confira um exemplo prático de 16/8:


Comer-pausa-comer: Jejuar por 24 horas, uma ou duas vezes por semana. Por exemplo, jantar num dia e não comer nada até o jantar no dia seguinte, no mesmo horário.

Dieta 5:2: Este envolve restrição calorica diretamente. Propõe comer apenas 500-600 calorias em dois dias da semana, mas comer normalmente nos outros cinco dias.

  • Consistência é a palavra

Como em quase qualquer outra área da vida, nada dá certo da noite para o dia. Nunca desista se algo aparentemente não apresente resultados mágicos nas primeiras tentativas.

Seu corpo pode levar algum tempo para se adaptar a um protocolo de Jejum Intermitente. Seja consistente com a alimentação saudável nas janelas de alimentação, esta é a chave mestra.

O BALANÇO DA ENERGIA

Comida é energia. Quando vivemos nossas vidas, estamos liberando e gastando essa energia.

Quando mantemos nosso peso, é um sinal de que a energia que está entrando no nosso corpo equivale à energia que está saindo.

Se estamos perdendo peso, significa que a energia de fora é maior. Quando ganhamos, o contrário.

Como a energia entra? Comendo e bebendo. Como ela sai? Através de todas as atividades do corpo humano, incluindo manter nossa temperatura, locomoção, manter os fatores metabólicos celulares em operação, etc.

Se desejamos perder peso, há somente duas maneiras possíveis: diminuir a energia que entra ou aumentar a energia que sai.

E a principal razão para o Jejum Intermitente ajudar na perda de peso é que ele te faz ingerir menos calorias.

As células de gordura têm um trabalho principal: armazenar combustível (energia) extra. Quando comemos, elas armazenam. Se precisarmos, elas liberam.

O corpo não tem como se livrar do combustível extra (advindo das calorias) exceto queimando, e ele só queimará quando estivermos em um balanço energético negativo, ou seja, se não estamos recebendo todas as calorias que precisamos para um dia de atividade.

EU DEVO?

Jejum Intermitente não é uma necessidade para todos. É apenas mais uma ferramenta que você pode usar para alcançar seus objetivos.

Caso você não se sinta confortável com a ideia, pode abandoná-la. As coisas mais importantes para a saúde em geral são saber escolher os alimentos certos, abandonar o sedentarismo e ter um sono regular.

Mas se você acha que essa pode ser uma forma sustentável de manter o estilo de vida saudável a longo prazo, então, pule de cabeça!

Recomendados para você